Artista circense brasileiro agredido em Berlim se recupera após cirurgia

  • 11/08/2017 - 17h42

Letycia Bond - Repórter da Agência Brasil

O artista circense brasileiro Rafael Lucas Gonçalves, agredido em Berlim na terça-feira (8), se recupera de uma cirurgia de reconstrução facial feita na quarta-feira (9) em um hospital na mesma cidade. O ataque ao jovem e a outros colegas que o acompanhavam ocorreu durante o festival Berlin Lacht, que reúne apresentações na Alexanderplatz, uma praça no centro da capital alemã.

Apelidado de “Pikapau”, Gonçalves, que reside em Cabo Verde desde 2016, recebeu golpes de vários agressores e desmaiou. Diante das graves lesões no rosto, foi necessário que a equipe médica implantasse duas placas de titânio na região dos olhos.

Apesar de a agressão estar sendo tratada como um caso de xenofobia por veículos da imprensa alemã, Gonçalves disse hoje (11) à Agência Brasil que ele mesmo não tem certeza de que os agressores eram neonazistas ou de grupos nacionalistas. “Eles ficaram gritando palavras em alemão, mas não posso confirmar que tinham esse perfil”, disse.

Gonçalves acrescentou que, em breve, deve distribuir aos jornalistas uma carta, esclarecendo o episódio e que não se deve atribuir culpa à organização do festival. “Eles estão me dando apoio, me ajudando”, disse.

Segundo a assessoria do Itamaraty, a embaixada do Brasil na Alemanha, instalada em Berlim, já está averiguando o caso desde o dia da ocorrência. As informações estariam sendo apuradas aos poucos, porque a embaixada foi avisada por uma terceira pessoa, que já saiu da Alemanha.

“Nos termos da Lei de Acesso à Informação, e em respeito à privacidade do cidadão, o governo não pode comentar informações pessoais de brasileiros que recebam assistência consular no exterior”, acrescentou a assessoria.

Edição Fábio Massalli

Ir para a versão desktop