Multas por uso de celular ao volante crescem 43% em SP

  • 17/10/2016 - 15h35

Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil

O número de multas por uso de telefone móvel ao volante cresceu 43% nos últimos cinco anos em São Paulo, informou o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-SP). Segundo o órgão, o total de infrações passou de 80.182 casos em 2010 para 114.894 no ano passado. Nos sete primeiros meses desse ano, o número de multas por uso de celular já somou 63.441 ocorrências.

O número desse tipo de multa pode, no entanto, ser ainda maior porque esse total só se refere às multas aplicadas pelo Detran, mas há outros órgãos de trânsito, como a Companhia de Engenharia de Tráfego e a polícia rodoviária, que também aplicam a penalidade.

Para o Detran, o uso de telefone ao volante coloca em risco não só a vida do próprio condutor, mas também a de outras pessoas. “O uso de celular comprovadamente diminui a atenção e os reflexos do motorista e, consequentemente, aumenta a possibilidade de acidentes”, disse José Antonio Oka, coordenador do Observatório Paulista de Trânsito do Detran.SP.

Pela legislação federal de trânsito, o uso de celular só é possível quando o veículo estiver estacionado. Enquanto ele estiver em deslocamento, o aparelho só pode ser utilizado na função GPS e deve ser fixado no para-brisa ou no painel dianteiro, em suporte adequado. Quem fala ao celular enquanto dirige comete infração média e pode ser punido com multa de R$ 85,13 e perda de quatro pontos na carteira de habilitação.

A partir de 1o de novembro, quando entrará em vigor a Lei Federal 13.281, que altera o Código de Trânsito, a multa será ainda maior. Dirigir com apenas uma das mãos enquanto segura o celular em outra será considerada infração gravíssima, com multa de R$ 293,47 e perda de sete pontos na carteira.

Edição Augusto Queiroz

Ir para a versão desktop